Os 30 reais

30 out

É uma tarde de quinta-feira em SP. O sol está brilhando mais que nunca e o céu está simplesmente lindo. Eu poderia estar nadando numa piscina, pegando uma corzinha na praia, tomando um sorvete ou até trabalhando. Mas não, eu estou na Livraria Cultura acompanhada somente do meu vale presente de 30 reais.

Assim que entro no Conjunto Nacional minha cabeça já começa a fervilhar- “Meu Deus, que livro eu vou comprar? Eu devia ter feito uma lista dos top preferidos pra poder pegar um a um e escolher o ideal . aiaiaiaiaiai”

Não é saudável presentar uma pessoa viciada em livros com 30 reais apra serem gastos na melhor livraria da cidade- isso pode causar sérios danos à saúde mental dessa pobre pessoa que, sozinha, não podia contar com ninguém para ajudar no auto controle.

“Ok, vamos lá. Respira fundo e conta até 10. Não é tão difícil assim escolher um livro, Carolina! Você consegue”.

Como num passe de mágica, me vem a figura do Obama na cabeça e repito o mantra “Yes, we can” 20 vezes até o meu coração dar uma desacelerada. “Yes, you can! vai com calma e escolha com o coração”

O meu cartão presente não saía da minha mão, quase como se eu tivesse medo que ele sumisse instantaneamente e eu não pudesse mais gasta-lo. E junto comigo ele foi visitando cada parte da Livraria, me deixando cada vez com mais e mais dúvidas.

Sabe como é, eu não queria ser injusta com nenhum livro! queria que todos se sentissem dignos de serem gastos com meus 30 reais de presente, não queria decepcionar ninguem em prateleira nenhuma.

“Como é que eu vou escolher um só livro?”

Comecei a pensar diferentes estratégias pra poder afunilar a minha lista. Então tive a ideia de gênio de comprar um livro que eu jamais compraria se tivesse que gastar do meu próprio bolso. “É arriscado. Mas pode ser divertido”.

Andei, andei, andei. Revirei capa por capa. Passei a mão em todos, senti o cheiro de perto. Nada. Nenhum livro me chamava a atenção.

“Ok, então. Vai ver é pra eu comprar um pocket book em inglês. Daqueles que eu sempre compro. Deve ser melhor mesmo não mudar muito, assim não corro o risco de me decepcionar”

Pocket após pocket e ….nada. ´”Será que eu já comprei todos os pockets que eu queria pro resto da vida? Não é possivel!”

Os minutos foram passando e fui ficando cada vez mais tensa. Seria essa a primeira vez que eu entrei numa livraria COM dinheiro e iria sair de maos abanando? Jesus,credo em cruz- eu so podia estar doente!

De repente, não mais que de repente, eu fui andando até a parte infanto juvenil. E percebi que, desde o começo, eu não queria outro livro a não ser aquele que eu estava esperando tanto tempo. Ele era o ultimo que faltava para completar minha coleção. O único que eu ainda não havia encontrado em nenhuma livraria, a não ser as virtuais. O único que eu nem sequer havia tocado. E estava lá, esperando por mim- Morte de tinta.

Os meus 30 reias olharam pra mim e disseram ” De verdade? Tanto drama e você vai me comprar esse livro?” Talvez não tenha sido eles propriamente que falaram, mas sim a minha consciência. No mesmo momento, não fui eu que respondi, mas sim meu coração- “É esse mesmo. É ele que estou esperando =)”

É uma tarde de quinta-feira em SP. O sol está brilhando ainda forte e o céu continua bonito. E eu saio da Avenida Paulista feliz da vida, com o meu tão esperado Morte de Tinta. =)

Anúncios

Como é mesmo o nome dele? Parte 3

17 out

O ator escolhido de hoje é um dos meus coadjuvantes preferidos; ele está em vários filmes que adoro e por isso é uma cara bem conhecida pra mim. E mesmo assim eu nunca tive a curiosidade de descobrir o nome dele, aliás sempre me referi a ele como o cara do Con Air que canta com a menininha ou o cara feioso que fez Armagedon ou o Crazy eyes de mr. Deeds (já lembrou dele?) A verdade é que esse cara está em quase todos os filmes do mundo (de acordo com IMDB, claro) e com certeza vc já assistiu ele em muitos deles.

Além de Con Air, Armagedon e Mr. Deeds ele também fez Cães de Aluguel, Pulp Fiction, o Paizão, Gente Grande, Eu vos declaro Marido e….Larry, Big Lebowski (um dos meus preferidos dessa lista), 28 dias, Monstros S.A., Simpsons e Final Fantasy (nesses 3 últimos ele emprestou a voz) e até mesmo fez uma participação na primeira série que eu assisti na vida – E.r.Essa lista é muito maior, claro. Pra quem tiver curiosidade, é só acessar o www.imdb.com
Senhoras e senhoresm, vos apresento então Steve Buscemi:
Obrigada Steve, por fazer tantos filmes legais! Prometo nunca mais esquecer seu nome =)

Aliás, você é best do Adam Sandler, não é mesmo? 😉 Agradeça a ele por sempre te colocar nos filmes que ele faz =D

E entendo perfeitamente porque te chamam de Crazy Eyes no Mr. Deeds =D

Cenas- Parte 1

10 out

Não existe coisa mais chata na cidade de São Paulo do que dirigir nesse trânsito infernal. Então, comecei a usar as 4 horas diárias que passo dirigindo pra fazer coisas produtivas, ou seja, botar minha imaginação pra funcionar. É geralmente quando estou no carro que tenho as ideias mais mirabolantes; o problema é que quase sempre não consigo anotar e acabo esquecendo as coisas.

A ideia desse post porém foi uma das que eu não esqueci e resolvi colocar em prática bem hoje, dia que a inspiração resolveu dar as caras. Então, dando uma paradinha na série dos atores que conhecemos mas não sabemos o nome,gostaria de apresentar as minhas cenas favoritas de todos os tempos. Claro que essa não é um post definitivo, porque se já é difícil escolher os filmes que você mais ama, imagina as cenas que mais te marcaram…

Comecemos então por uma das animações mais delicadas que já assisti em toda a minha vida. Eu só posso dizer que tive muita sorte em ter assistido Up- Altas Aventuras e jamais vou me esquecer da sinceridade e carinho que esse desenho passa pra gente.
Essa é uma das cenas que eu gostaria de ter produzido, caso eu fosse uma produtora de cinema. Eu teria muito orgulho de ter criado esses personagens, com essa trilha sonora e essa historinha de vida e de amor. Nem preciso dizer que o resto do filme é todo encantador nao é?

Up me ocorreu como número um da lista porque foi o último filme que assisti aqui em casa. Mas logo em seguida comecei a pensar nos filmes que mais amo e me lembrei imediatamente de Forrest Gump. Quer tarefa mais impossível do que escolher uma cena favorita em Forrest Gump? Depois de muito e muito pensar, acho que acabei escolhendo uma das mais inspiradoras

A qualidade da cena está meio questionável, mas dá pra sentir a emoção do Forrest em encontrar o amor de sua vida no meio de milhares de pessoas. Quantas e quantas vezes ele perde a Jenny e a ganha de volta das maneiras mais inesperadas…Simplesmente perfeito!

O último filme de hoje é não só um dos meus preferidos mas também um dos mais geniais que já vi. Não é porque tem o Jim Carrey, um dos meus atores favoritos, e a Kate Winslet, uma de minhas atrizes preferidas. Nem é por causa da trilha sonora ou da direção. O que faz esse filme tão único é a história e como ela se faz presente na vida de todos que já tiveram seu coração partido. A cena que escolhi é linda e triste, e por isso ela fecha o post de hoje

Bom feriado =)

Qual é o nome dele mesmo? parte 2

5 set

O post de hoje vai ser dedicado especialmente a Paul Bettany.E à descoberta bizarra que acabou de me ocorrer. Vou me explicar melhor.

Antes de mais nada, Paul Bettany sempre foi um ator que eu gostei e nunca procurei o nome antes. Eu lembro dele de Uma Mente Brilhante (um dos caras que o John Nash vê),  do Código da Vinci (o Silas), do Coração de Cavaleiro e do adorável A vida secreta das abelhas. Portanto, Paul Bettany é meu velho conhecido.

Ele foi o segundo escolhido dessa lista porque, agora me permitam um breve relato pessoal, há 3 semanas comprei na Bienal o livro Coração de Tinta. E neste livro há o personagem Dedo Empoeirado. Assim que comecei a le-lo, foi a imagem do Paul bettany que me veio à cabeça para imaginar o Dedo Empoeirado, parecia ideal e eu fiquei super orgulhosa de ter conseguido imagina-lo com tanta facilidade. O curioso é que agora, durante a minha pesquisa no IMDB.com sobre os filmes que ele participou, descobri que no filme de Coração de Tinta ele é justamente o ator que faz Dedo Empoeirado. Estou em estado de choque porque eu não vi o filme ainda e não sei nada sobre os atores e a adaptação. Portanto, caros amigos, acho melhor vocês começarem a levar a sério meu sexto sentido. It really works. =D

Como é o nome dele mesmo?

29 ago

O que acontece é que ontem a tarde assisti ao finalzinho do Mission Impossible. Mas esse post não é para falar sobre o filme e sim sobre um pensamento que me ocorreu enquanto eu o assistia. Eu sabia que esse era um dos grandes filmes do Tom Cruise e nada de muito mais relevante. Aí comecei a reconhecer alguns dos atores ,quando o vi: o coadjuvante.

O  coadjuvante do Tom Cruise é aquele cara famoso , sabe qual é?..não sei muito bem explicar, mas é aquele cara que já participou de diversos filmes e você sabe que a cara dele é conhecida e você acha ele um ator legal MAS você não faz a menor ideia de como ele se chama? Então, esse cara mesmo!

Aí me ocorreu quantos atores fazem filmes e a gente acaba conhecendo a cara de cada um deles mas nunca nos demos o trabalho de procurar seus nomes. Isso acontece de montão e, quando parei pra pensar, me veio uma lista consideravelmente longa  que me inspirou a fazer esse post. Eles são os ilustres (des)conhecidos de Hollywood. Eles são sempre os coadjuvantes. Mas eles são bons.

O ator aqui (des)conhecido pra mim é o Ving Rhames. Eu sabia que eu o conhecia de algum lugar e, depois de uma pesquisa rápida, descobri que ele fez Con Air, Striptease,  Pulp Fiction e, o meu preferido, I now pronounce you Chuck & Larry. E aí, lembram dele também?

Comecei a pensar em mais atores e atrizes e pretendo fazer mais posts sobre eles. Assim, quem sabe, aprendemos mais sobre Hollywood do que o óbvio, nao é mesmo?

9 de julho e o Noitão do HSBC Belas Artes

12 jul

Se eu pudesse escolher uma atividade preferida para fazer durante o resto de toda a minha vida eu provavelmente escolheria ir ao cinema! Acho que não tem nada mais legal do que chegar na bilheteria, escolher o filme ideal praquele dia, comprar a pipoca e o refri ( no meu caso, a deliciosa água mineral), sentar numa poltrona mega confortável e simplesmente esquecer sua vidinha durante duas horas.

Eu amo filmes, eu amo cinema, eu amo DVDS, eu amo os atores, eu amo escrever sobre filmes, eu amo o Spilberg a ponto de já ter escrito uma carta pra ele ( mesmo não tendo obtido resposta),eu amo tudo!

Bom, acho que já deu pra pegar a ideia né?

Amando tudo que amo em relação a cinema, fiquei mais do que feliz quando o querido André teve a seguinte conversa comigo no msn:

“Velma (sim, eu sou a Velma =D) você gosta de Tarantino?”

“Claro”

(eu gosto muito do Tarantino. Aliás, eu gosto do Tarantino desde os meus…12 anos, quando assisti pela primeira vez Pulp Fiction. Eu não sei bem o que a minha mãe tinha na cabeça ao me deixar assistir esse tipo de filme quando eu tinha somente 12 anos. O que eu sei é que minha mãe é a fã número 1 do John Travolta e ela faria todo o possível para provar para sua filha que ele é o cara desde a década de 70. E então eu assisti bem novinha Pulp Fiction, Jackie Brown e Cães de Aluguel. Não, isso não afetou a minha personalidade de nenhuma maneira e hoje eu sou uma menina tão doce e sensível quanto uma borboleta )

“Então você tem que ir comigo no Noitão do Belas Artes. Vai ser todo do Tarantino” (pra quem não sabe, o Noitão é um ‘evento’ que o Belas Artes da Paulista realiza uma vez por mês. Começa sempre meia noite e eles exibem três filmes – o último sempre é surpresa- e pra quem aguentar até o final, eles dão café da manhã. Mara!)

“Claro que eu vou!!!!”

“Eles vão passar À prova de morte, Cães de Aluguel ou Pulp Fiction e o terceiro filme é surpresaProvavelmente não será Kill Bill, pq tem duas partes…. tomara que seja Bastardos Inglórios”

E foi com a promessa de rever Pulp Fiction na tela de cinema que eu me entreguei ao convite mais perfeito que eu poderia receber nas vésperas desse feriado que, pra mim, sempre foi inútil uma vez que sempre estou de férias nessa época.

Chegou o dia 9 de julho e a UOL traz uma nota sobre o Noitão que eu já tinha ingresso garantido. Bomba! O Noitão não era só sobre o Tarantino. Na verdade, eles passariam o filme que ele fez antes dos Bastardos, À prova de morte, e depois exibiriam um filme chamado Epidemia, outro chamado Tokio Porrada (O.o) e a surpresa da noite.Puta que pariu! – foi meu primeiro pensamento. O segundo foi imediatamente oposto- “Bom, é cinema! Vc gosta de cinema! Por que não passar a noite em um assistindo coisas diferentes? e conhecendo gente diferente? Vai ser legal!”

E então encarei a ideia de que o Noitão especial filmes B iria fazer o meu feriado bem legal ! Chegando lá no Belas Artes tive que extrair a confissão do André de que sim, ele tinha pensado sinceramente que o Noitão era especial Tarantino, mas (atenção a esse mas) que ele confessava que tinha inventado toda a programação falseta de pulp fiction ou cães de aluguel. Há! Fui enganada! Descaradamente! Há!

Bom, o Noitão seria diferente. Os três filmes seriam exibidos durante a noite toda e você poderia escolher a ordem que gostaria de ver. Um filme sempre ficaria sem ser visto, caso nós escolhessemos assistir o filme surpresa, então eliminamos Tokio Porrada(O.o) da nossa lista e partimos para À prova de Morte.

Tarantino conta a história de um dublê-psicopata-nojento (Kurt Russel)que sente prazer em matar meninininhas indefesas com seu carro à prova de morte.O filme é basicamente isso, mas como é divertido!

Eu tenho que admitir que fiquei mega surpresa, porque foi realmente legal assistir essa coisa trash que o Tarantino chamou de filme! O enredo é muito bom, é tenso, tem cenas nojentas e bem feitas e o final…ah! o final! Vale todo o sofrimento que vc passa durante o filme!

A sala inteira estava torcendo pelas pobres meninas indefesas e todo mundo se matava de rir com as atrocidades na tela; o que era um filme trash, foi muito mais legal que várias comédias que já assisti na vida. Super recomendadíssimo!

Esse foi o segundo filme da noite. Não se deixe enganar por esse cartaz assustador. “Epidemia” é chato, tedioso e uma cópia barata de Eu sou a Lenda (muito embora tenha sido feito antes do filme do Will hahahaha).

Confesso que cochilei nesse filme. Aliás, eu dormi mesmo! Não consegui me interessar e só acordava rapidinho quando via as pessoas se assustando com os barulhos que o filme fazia.

Acho que não agradou muito o pessoal. Quer dizer, eu realmente não posso afirmar nada porque eu dormi mesmo.

Esse foi o filme surpresa da noite. Foi meio impactante se dar conta, às 4 horas da manhã, que o filme surpresa era um filme francês. Não que eu tenha algo contra os filmes franceses, é só que …. bem, eu precisava de um motivo real para ficar acordada até o fim da madrugada.

Surpreendemente, aguentei firme e forte e assisti Dobermann até o fim. Não é o meu tipo de filme preferido, mas a quantidade de tiros, sangue e violência gratuita me deixaram alerta. E no final das contas eu acabei gostando do primeiro filme francês que eu assisti em toda a minha vida ( sim, eu sei, é uma vergonha. E não, eu ainda não assisti Amelie Poulain)

E assim, às 6 da manhã, terminou meu primeiro Noitão. Foi muito divertido e valeu a pena demais. E , claro, eu ganhei meu café da manhã repleto de coisas de chocolate =D Muffins, waffers, barrinhas de cereal- tudo chocolate. E uma das coisas boas de sair com 3 caras é que eles simplesmente abrem mão de todo o chocolate que receberam e dão tudo pra você =)

*The End*

Toy Story 3D e como a vida jamais será a mesma

2 jul

Parece que foi ontem o dia em que eu ganhei meu VHS de Toy Story. Ah como o tempo era bom… tudo que se podia esperar da vida era ganhar uma fita da Disney e assisti-la até fazer um buraco (ou na fita ou na sua cabeça).  Aí então o tempo passou pra todos nós… e alguns, como eu, não deixaram de ter amor pela suas fitas da Disney- mesmo que elas tenham sido substituídas pelos DVDS.

A verdade é que acabei crescendo, mas nunca esqueci o quanto Woody fez parte da minha infância. Aí, 2010 chegou, Toy Story 3 estreou no cinema, fui assistir e a vida nunca mais foi a mesma desde então.

A principal impressão que se tem quando se assiste Toy Story 3 é que esse filme definitivamente não foi feita pra geração atual .Sorry kids, é difícil de aceitar eu sei, mas vocês terão que se contentar com os filmes chatos da época de vocês; aceitem que não, Toy Story 3 não é pra vocês e que não, vocês não conseguem entender nem o humor muito menos a mensagem do filme. Se contentem com o 3D que pode distraí-los, enquanto nós recém crescidos colocamos a mão na consciência. E choramos! Ah, como choramos durante o filme!

Foi quase como se você voltasse ao passado, reencontrasse seus amigos preferidos e entao, sofresse por quase duas horas com a idéia de perde-los para sempre. É difícil, doloroso e traumático, mas eu sobrevivi até os minutos finais quando algumas cenas de comédia passavam enquanto os letreiros subiam. Eu não consegui rir nesse momento, estava chocada demais com o turbilhão de emoções que o filme causa na gente.

Mas valeu a pena. E muito!

E que venha Shrek Happily Ever After- I’m ready!