Archive | fevereiro, 2012

“Crônicas de Ny” Parte 1- Central Park

16 fev

Quem chega em solo nova iorquino, imediatamente não consegue olhar para baixo- são tantos arranha-céus, tantas janelas espelhadas, tanto brilho, tanta vida lá no alto…é uma baita selva de pedra brilhante. Então, você anda por Manhattan como se fosse uma formiguinha maravilhada por estar quase sendo esmagada por tantos gigantes. Aí você anda, anda, anda…até quase ganhar um torcicolo. Mas de repente alguma coisa ganha os seus olhos. E, como numa epifania moderna, você fica paralisado com aquele alumbramento- não é nada que se compare aos brilhos espelhados dos grandes prédios de Manhattan. É algo muito melhor.
Bem ali na sua frente, no meio de toda a arquitetura de pedra que você tanto admira, há um mar de árvores. E você está diante do Central Park.
Assim que você dá o primeiro passo em direção àquele lugar tão singular no mundo, é imediatamente inundado por uma sensação de familiaridade. Será por causa de todos os filmes que se passaram ali? Ou será que foram todas as fotos que vi nos guias antes de viajar?
A verdade, meu caro, é que apesar de você ser só mais um turista em NY, você se sente prontamente em casa quando caminha pelas “ruazinhas” do Central Park.É como se você tivesse nascido para aquele lugar e aquele lugar tivesse nascido para você. Você sabe que isso é sincero quando, no meio do frenesi de NY, consegue encontrar paz no Strawberry Fields. Ou ainda, quando percebe que foi fisgado pelo charme da Boat House e das subidas e descidas do Shakespeare garden. Em que outro lugar do mundo você encontraria um castelinho medieval no meio de uma cidade grande? E aí você deseja com todo o amor que tem no coração que pudesse morar ali nos arredores do parque para sempre…
E depois de horas e horas andando e andando (sempre com merecidas pausas para apreciar os shows de rua), chega a hora de deixar o Central Park para se aventurar na selva de pedra mais uma vez. Mas agora, o seu olhar mudou… você não olha mais para cima, mas olha para frente, planejando o dia em que mergulhará de novo na serenidade e beleza do Central Park.