Arquivo | julho, 2010

9 de julho e o Noitão do HSBC Belas Artes

12 jul

Se eu pudesse escolher uma atividade preferida para fazer durante o resto de toda a minha vida eu provavelmente escolheria ir ao cinema! Acho que não tem nada mais legal do que chegar na bilheteria, escolher o filme ideal praquele dia, comprar a pipoca e o refri ( no meu caso, a deliciosa água mineral), sentar numa poltrona mega confortável e simplesmente esquecer sua vidinha durante duas horas.

Eu amo filmes, eu amo cinema, eu amo DVDS, eu amo os atores, eu amo escrever sobre filmes, eu amo o Spilberg a ponto de já ter escrito uma carta pra ele ( mesmo não tendo obtido resposta),eu amo tudo!

Bom, acho que já deu pra pegar a ideia né?

Amando tudo que amo em relação a cinema, fiquei mais do que feliz quando o querido André teve a seguinte conversa comigo no msn:

“Velma (sim, eu sou a Velma =D) você gosta de Tarantino?”

“Claro”

(eu gosto muito do Tarantino. Aliás, eu gosto do Tarantino desde os meus…12 anos, quando assisti pela primeira vez Pulp Fiction. Eu não sei bem o que a minha mãe tinha na cabeça ao me deixar assistir esse tipo de filme quando eu tinha somente 12 anos. O que eu sei é que minha mãe é a fã número 1 do John Travolta e ela faria todo o possível para provar para sua filha que ele é o cara desde a década de 70. E então eu assisti bem novinha Pulp Fiction, Jackie Brown e Cães de Aluguel. Não, isso não afetou a minha personalidade de nenhuma maneira e hoje eu sou uma menina tão doce e sensível quanto uma borboleta )

“Então você tem que ir comigo no Noitão do Belas Artes. Vai ser todo do Tarantino” (pra quem não sabe, o Noitão é um ‘evento’ que o Belas Artes da Paulista realiza uma vez por mês. Começa sempre meia noite e eles exibem três filmes – o último sempre é surpresa- e pra quem aguentar até o final, eles dão café da manhã. Mara!)

“Claro que eu vou!!!!”

“Eles vão passar À prova de morte, Cães de Aluguel ou Pulp Fiction e o terceiro filme é surpresaProvavelmente não será Kill Bill, pq tem duas partes…. tomara que seja Bastardos Inglórios”

E foi com a promessa de rever Pulp Fiction na tela de cinema que eu me entreguei ao convite mais perfeito que eu poderia receber nas vésperas desse feriado que, pra mim, sempre foi inútil uma vez que sempre estou de férias nessa época.

Chegou o dia 9 de julho e a UOL traz uma nota sobre o Noitão que eu já tinha ingresso garantido. Bomba! O Noitão não era só sobre o Tarantino. Na verdade, eles passariam o filme que ele fez antes dos Bastardos, À prova de morte, e depois exibiriam um filme chamado Epidemia, outro chamado Tokio Porrada (O.o) e a surpresa da noite.Puta que pariu! – foi meu primeiro pensamento. O segundo foi imediatamente oposto- “Bom, é cinema! Vc gosta de cinema! Por que não passar a noite em um assistindo coisas diferentes? e conhecendo gente diferente? Vai ser legal!”

E então encarei a ideia de que o Noitão especial filmes B iria fazer o meu feriado bem legal ! Chegando lá no Belas Artes tive que extrair a confissão do André de que sim, ele tinha pensado sinceramente que o Noitão era especial Tarantino, mas (atenção a esse mas) que ele confessava que tinha inventado toda a programação falseta de pulp fiction ou cães de aluguel. Há! Fui enganada! Descaradamente! Há!

Bom, o Noitão seria diferente. Os três filmes seriam exibidos durante a noite toda e você poderia escolher a ordem que gostaria de ver. Um filme sempre ficaria sem ser visto, caso nós escolhessemos assistir o filme surpresa, então eliminamos Tokio Porrada(O.o) da nossa lista e partimos para À prova de Morte.

Tarantino conta a história de um dublê-psicopata-nojento (Kurt Russel)que sente prazer em matar meninininhas indefesas com seu carro à prova de morte.O filme é basicamente isso, mas como é divertido!

Eu tenho que admitir que fiquei mega surpresa, porque foi realmente legal assistir essa coisa trash que o Tarantino chamou de filme! O enredo é muito bom, é tenso, tem cenas nojentas e bem feitas e o final…ah! o final! Vale todo o sofrimento que vc passa durante o filme!

A sala inteira estava torcendo pelas pobres meninas indefesas e todo mundo se matava de rir com as atrocidades na tela; o que era um filme trash, foi muito mais legal que várias comédias que já assisti na vida. Super recomendadíssimo!

Esse foi o segundo filme da noite. Não se deixe enganar por esse cartaz assustador. “Epidemia” é chato, tedioso e uma cópia barata de Eu sou a Lenda (muito embora tenha sido feito antes do filme do Will hahahaha).

Confesso que cochilei nesse filme. Aliás, eu dormi mesmo! Não consegui me interessar e só acordava rapidinho quando via as pessoas se assustando com os barulhos que o filme fazia.

Acho que não agradou muito o pessoal. Quer dizer, eu realmente não posso afirmar nada porque eu dormi mesmo.

Esse foi o filme surpresa da noite. Foi meio impactante se dar conta, às 4 horas da manhã, que o filme surpresa era um filme francês. Não que eu tenha algo contra os filmes franceses, é só que …. bem, eu precisava de um motivo real para ficar acordada até o fim da madrugada.

Surpreendemente, aguentei firme e forte e assisti Dobermann até o fim. Não é o meu tipo de filme preferido, mas a quantidade de tiros, sangue e violência gratuita me deixaram alerta. E no final das contas eu acabei gostando do primeiro filme francês que eu assisti em toda a minha vida ( sim, eu sei, é uma vergonha. E não, eu ainda não assisti Amelie Poulain)

E assim, às 6 da manhã, terminou meu primeiro Noitão. Foi muito divertido e valeu a pena demais. E , claro, eu ganhei meu café da manhã repleto de coisas de chocolate =D Muffins, waffers, barrinhas de cereal- tudo chocolate. E uma das coisas boas de sair com 3 caras é que eles simplesmente abrem mão de todo o chocolate que receberam e dão tudo pra você =)

*The End*

Toy Story 3D e como a vida jamais será a mesma

2 jul

Parece que foi ontem o dia em que eu ganhei meu VHS de Toy Story. Ah como o tempo era bom… tudo que se podia esperar da vida era ganhar uma fita da Disney e assisti-la até fazer um buraco (ou na fita ou na sua cabeça).  Aí então o tempo passou pra todos nós… e alguns, como eu, não deixaram de ter amor pela suas fitas da Disney- mesmo que elas tenham sido substituídas pelos DVDS.

A verdade é que acabei crescendo, mas nunca esqueci o quanto Woody fez parte da minha infância. Aí, 2010 chegou, Toy Story 3 estreou no cinema, fui assistir e a vida nunca mais foi a mesma desde então.

A principal impressão que se tem quando se assiste Toy Story 3 é que esse filme definitivamente não foi feita pra geração atual .Sorry kids, é difícil de aceitar eu sei, mas vocês terão que se contentar com os filmes chatos da época de vocês; aceitem que não, Toy Story 3 não é pra vocês e que não, vocês não conseguem entender nem o humor muito menos a mensagem do filme. Se contentem com o 3D que pode distraí-los, enquanto nós recém crescidos colocamos a mão na consciência. E choramos! Ah, como choramos durante o filme!

Foi quase como se você voltasse ao passado, reencontrasse seus amigos preferidos e entao, sofresse por quase duas horas com a idéia de perde-los para sempre. É difícil, doloroso e traumático, mas eu sobrevivi até os minutos finais quando algumas cenas de comédia passavam enquanto os letreiros subiam. Eu não consegui rir nesse momento, estava chocada demais com o turbilhão de emoções que o filme causa na gente.

Mas valeu a pena. E muito!

E que venha Shrek Happily Ever After- I’m ready!